domingo, 18 de setembro de 2011

Ser velho



Tem vezes em que não dá para esquecer de que se é velho. E não tem exatamente a ver com idade, mas com as coisas vividas. Você não consegue ficar trocando de música a cada meio minuto, em busca da mais divertida que, invariavelmente, vem a ser a mais trash. Você não consegue nem permanecer na festa. Nem ficar "uber" entusiasmado com qualquer coisa menos que esplêndida. E você se dá conta de que trepar muito e ecleticamente só faz bem pro ego pela duração de um miojo. Depois faz um rombo danado na existência. Pior: você percebe que relacionar-se, passar anos juntos, ter filhos e os cambaus, parece cada vez mais distante. Porque então você já aprendeu que isso tudo exige ou uma renúncia imensa, ou uma coragem que já te falta.
Nas primeiras vezes que você preferir em casa, você vai se estranhar. Depois vai se reconhecer, e ficar em paz com um bom livro ou filme. E, por favor, esqueça a imagem idealizada de macho ou fêmea autossuficiente. Diariamente, nas contas da casa, nos cantos por limpar, nas compras por fazer, você vai ver que é só uma boa imagem. Dentro de você vai crescendo um treco seco e anestesiado. Para alguns fica até charmoso, principalmente se vier acompanhando uns fios de cabelo grisalhos.
A vantagem é que as viagens, os vinhos, as músicas serão só suas. Mas também não se anime tanto porque, na verdade, raramente você vai encontrar com quem dividir. E se encontrar, antes de chegar a esse encontro, vai precisar daquela paciência, que já anda escassa. Por isso você vai tender a preservar as amizades antigas.
Fora isso, tem as manias. Querer as coisas do seu jeito, ficar obsessivo com outras. Todas para o seu conforto de velho. A paz na velhice reside em, das meias à poltrona, encontrar os dispositivos que te fazem mais a vontade com ela.

3 comentários:

Flavio disse...

Intrigante, interessante, algo mais que isso tudo talvez... Adorei.

Jenyffer Lisboa disse...

Nossa...acho q ja sou velha tbm...(apesar de nao ter haver com idade)

Adriane Gomes disse...

sim... fim de partida...